Capital X Interior: qual é a melhor opção para morar e investir?

Incorpe EmpreendimentosEconomia, Qualidade de vida0 Comments

Existem muitas opiniões conflitantes sobre qual seria o melhor lugar para morar ou investir, mas a realidade é que tudo depende das necessidades e valores de cada pessoa. Tanto morar na cidade quanto morar no interior pode ter suas vantagens e desvantagens, e mais do que decidir entre um ou outro, é necessário levar em consideração que toda cidade é diferente, então estes critérios são apenas generalizações, um filtro para limitar as opções e facilitar a escolha.

Antes de comprar um imóvel ou um terreno em algum lugar, primeiramente é interessante conhece-lo mais a fundo. Muitas pessoas tem a ilusão, por exemplo, após viajar para uma cidade, que gostariam de morar lá. No entanto, estar em um lugar a passeio e viver toda a sua rotina nesse mesmo lugar são duas coisas absolutamente diferentes. Escolher um lugar para morar ou investir demanda pensar meticulosamente no que ele precisa proporcionar à pessoa ou à finalidade da escolha, para evitar frustrações.

Uma pessoa que pretende adquirir um imóvel ou um terreno como investimento precisa pensar nas seguintes questões: como deseja lidar com esse investimento? O retorno esperado seria em curto, médio ou longo prazo? Pretende usufruir do espaço como forma de lucro ou alugá-lo? De quanto tempo dispõe para isso? Quais a função desse investimento no seu futuro? Qual é o seu tipo de negócio? Essas perguntas são essenciais para entender se vale mais a pena investir na cidade ou no interior.

Se a pessoa, por exemplo, trabalha em um ramo que apresenta muita competitividade em uma capital, o melhor é procurar uma cidade de pequeno ou médio porte que apresente público consumidor para esse ramo e menos concorrentes. Como buscar essa cidade? Pesquisas! Há vários dados que podem auxiliar nessa busca, como os dados do IBGE ou estudos de mercado disponíveis na internet. Quem deseja uma forma mais segura de fazer isso pode procurar uma consultoria, com uma incorporadora, um profissional ou alguma outra entidade que tenha experiência nesse tipo de negócio.

Já as pessoas que procuram um lugar para se instalar precisam levar em consideração outras questões. Rememorar os seus hábitos e rotinas é indispensável para fazer uma avaliação bem realista dos impactos que a mudança de cidade poderia causar. É preciso se questionar: de quais recursos dispõe? Qual seria a repercussão dessa mudança em sua área profissional e financeira? Os equipamentos utilitários e de lazer que está habituado a frequentar existem na cidade ou em cidades próximas? Qual é seu nível de acesso à tecnologia e locomoção? Que estilo de vida gostaria de levar? Que tipo de vizinhança gostaria de ter? Quais os seus objetivos em curto, médio e longo prazo?

Obtendo respostas para todas essas questões, e outras mais que considerar relevante, será possível identificar, no mínimo, se o local ideal para a sua moradia seria na cidade ou no interior. Pessoas que desejam juntar dinheiro, por exemplo, seja por algum objetivo claro ou simplesmente para constituir um patrimônio que lhe traga segurança no futuro, acabam escolhendo viver e trabalhar em cidades do interior. Essa escolha é interessante para esse tipo de pessoa porque as oportunidades de emprego para pessoas qualificadas nessas cidades são maiores, os salários também costumam ser maiores e o custo de vida é menor. É a combinação perfeita para quem deseja poupar. Mas é uma decisão que precisa ser tomada com um pensamento em longo prazo, por isso, adquirir um imóvel no local pode ser interessante e, inclusive, mais uma forma de investimento.

Após escolher entre uma capital ou interior, as mesmas questões podem ser consideradas na hora de escolher uma cidade específica. Um outro exemplo de perfil, o da pessoa inquieta, que gosta de movimento, comércios, eventos, não segue uma carreira específica e tem dificuldade em se estabelecer com metas em longo prazo, a cidade é a melhor opção. É claro que as questões mencionadas precisam ser avaliadas uma a uma, comparadas e analisadas para uma tomada de decisão. Esses são apenas exemplos de perfis para cada tipo de lugar.

Todavia, é preciso considerar que as diferenças de acessibilidade estão cada vez menores quando comparamos capitais e algumas cidades do interior em franca expansão e essa diferença tem feito com que muitos perfis diferentes estejam optando por lugares que oferecem mais oportunidade, segurança e qualidade de vida, o que não é o caso das capitais, que só dispõem de condições de vida um pouco melhores em bairros pouco acessíveis financeiramente à maioria da população.

Então, se você está em dúvida sobre onde deveria reconstruir, começar ou continuar a sua vida, procure fazer esse paralelo entre o que deseja com essa mudança e o que cada tipo de lugar oferece. Conhecer e ponderar antes de agir é sempre a melhor opção, e se tiver oportunidade de conversar com um especialista faça isso. Escolher um lugar de moradia é sempre um investimento de peso, e os retornos serão igualmente importantes, para o bem ou para o mal, conforme a qualidade da escolha feita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *